Eu nunca vou te abandonar…

Eu ainda acreditava. Torci até o último segundo de jogo por um gol do Internacional, no Serra Dourada. Mas não saiu. O inoperante time do Corinthians não conseguiu livrar seus milhões de torcedores a uma das piores perdas de nossas vidas. Estou triste, chateado, mas levantando a cabeça tento escrever um texto com emoções equilibradas .

Em 2004 o Timão terminou o Brasileirão em quinto lugar. O time, comandado por Tite, era mediano. Fábio Costa, Betão, Anderson e Marquinhos; Rosinei, Rogério, Fabinho, Fábio Baiano e Zé Carlos. Marcelo Ramos e Gil. Tinha também os atacantes Jô e Alberto. O time era ruim? Podemos dizer que se comparado com o de 2005 esse time era ridículo. Mas se comparado ao de 2007 esse time era “Number One”.

O fim de 2004 trouxe a obscura parceria com o grupo MSI. Lembro – me que foi assistindo ao Debate Bola que fiquei sabendo da parceria. O tio Kia Joorabchian trouxe Carlitos Tevez por US$ 19,5 milhões, Sebástian Dominguez por mais alguns milhões, Roger, e especulava-se por Vagner Love.           

A torcida aceitou o presente. Há quem ponha parte da culpa da crise nos torcedores do Timão que até pediram autógrafo para Kia. Mas sempre defendo a tese que o torcedor é passional, e não cabia a ele dizer se as coisas eram legais ou não. Cabia SIM aos dirigentes do Corinthians, aos diretores do Corinthians, aos 400 conselheiros do Corinthians. Cabia à justiça brasileira interferir e punir as irregularidades. Mas os interessados têm amigos na justiça, e a amizade deixa investigações lentas.

O Brasileirão de 2005 veio. O time era MUITO bom. Carlitos Tevez jogou MUITA BOLA. Merecemos ser campeões, apesar de todo o escândalo da Máfia do Apito e das anulações dos onze jogos. AINDA não foi provado NADA para mostrar que o Corinthians foi beneficiado. Mas vai ver a justiça é lenta.

Veio 2006, veio o vexame da Libertadores, vieram as brigas de Dualib com Kia, e assim o fim da parceria. Veio 2007, um time em crise. Vieram as denúncias de corrupção que todos conhecem e não preciso repetir. Veio o rebaixamento

Para 2008, a nova diretoria promete renovação e transparência. E a torcida promete nunca abandonar o time. Eu prometo, e minhas perspectivas para 2008 são:

Técnico: Andrés tem que trazer um técnico que entenda de Série B. O Corinthians vai jogar em estádios ruins, com gramados em péssimas condições e o lado psicológico dos jogadores terá de ser trabalhado. Mano Menezzes é o meu favorito, mas acho que aceitaria Vágner Benazzi ou Marcelo Veiga.

Jogadores: A música da fiel (que não sai da minha cabeça) diz “eu nunca vou te abandonar”, mas espero que a maioria dos jogadores que rebaixaram o timão não a cantem. O Corinthians tem que apostar na molecada e em alguns jogadores que possam chamar a responsabilidade e resolver. A Portuguesa subiu com Diogo e Cia. Acho que será o ano de Lulinha, Dentinho, Everton, Nilton e alguns outros do terrão. Felipe tem que ficar. Luizão quer voltar a ser o matador do Timão, e na Série B acho que ele agüenta. E a limpeza tem que ser grande.

Torcida:Os adversários são ABC-RN, América-RN, Avaí-SC , Bahia, Barueri, Bragantino, Brasiliense, Cricíuma- SC, Ceará, CRB – AL, Fortaleza, Gama, Juventude, Marília, Paraná, Ponte-Preta, São Caetano, Santo André e Vila Nova-GO. São seis adversários paulistas. A torcida corintiana vai estar em peso então na maioria dos jogos, senão em todos. Acredito numa subida nos braços da fiel. Mas quero acreditar que subiremos e não mais seremos coadjuvantes nos campeonatos disputados, mas sim candidatos reais aos títulos.

PS: Desculpem-me pela talvez baixa qualidade do texto. As coisas ainda não forma bem digeridas e o assunto ainda machuca o colunista.


About this entry