Faz bem cair

Após a nova derrota de ontem, dessa vez frente ao Sport em pleno Pacaembu, o Corinthians se manteve na zona de degola do Campeonato Brasileiro. Nem mesmo a estréia do novo treinador Nelsinho Baptista, que prometia dar novo ânimo aos jogadores alvinegros, serviu para mudar a triste realidade em que se encontra a equipe paulistana. Faltando apenas 10 rodadas para o fim do campeonato, o timão vê a luz no fim do túnel ficar cada vez mais distante. Para complicar ainda mais, 8 dessas partidas terão um nível de dificuldade acentuado: Fluminense, São Paulo, Internacional, Náutico, Flamengo, Goiás, Vasco e Grêmio. As mais “simples” ficam por conta do Atlético Paranaense e o Figueirense, ambas em casa. Ou seja, só um milagre salva o time esse ano.

Porém, caso aconteça o descenso não é necessário entrar em pânico. Outros times grandes já caíram e isso serviu para que eles se reestruturassem – coisa que o Corinthians precisa urgentemente. Com as brigas políticas e os problemas policiais que envolvem o clube atualmente, o reflexo dentro de campo não poderia ser diferente. Com uma equipe limitadíssima, Nelsinho tenta achar uma solução que pelo menos garanta a equipe na “elite” do futebol brasileiro. Mas analisando friamente, podemos ver que ele dificilmente realizará tal feito.

Exemplos de grandes que caíram e voltaram não faltam: Botafogo e Palmeiras em 2002, Grêmio em 2004, Atlético MG em 2005. Atualmente o Coritiba, que caiu em 2005, tenta voltar para a primeira divisão. Em todos os casos, cair fez bem ao time. Lógico que no primeiro momento todos ficam abatidos. Mas no decorrer do ano na segunda divisão, a torcida se junta ao clube em torno do mesmo ideal: a volta à primeira divisão. Em muitos casos a torcida até aumentou na segunda divisão. Ano passado a torcida atleticana brigava com a são paulina para ver quem levava mais gente aos estádios. Cair não só serve para rebaixar as piores equipes do campeonato. É útil também para mostrar aos dirigentes que o trabalho realizado não foi nem um pouco eficiente, e que algo precisa ser feito.

Do mesmo jeito podemos analisar times que sempre escampam no finzinho do campeonato. Acho que o Flamengo é um ótimo exemplo disso. Todo ano o rubro-negro escapa por pouco. E mesmo assim não há um remodelamento do pensamento dentro do clube. Parece que enquanto não cair, o maior time do Brasil não entrará para ser campeão e sim para fugir da segundona.

Por isso defendo que o Corinthians caia esse ano, para que se reestruture e em 2009 volte com chances de ser campeão e não apenas para participar do campeonato.

Por Rodolfo II


About this entry